RESENHA: ANEXOS – RAINBOW ROWELL

anexos

  • Páginas: 368;
  • ISBN: 9788542804515;
  • Autor: Rainbow Rowell;
  • Data de Publicação: 14 de Abril de 2010;
  • Ano de Publicação no Brasil: 2014;
  • Gênero: Romance;
  • Idioma Original: Língua Inglesa;
  • Idioma: Português;
  • Formato: Físico e E-book;
  • Classificação: 4.5/5 estrelas;
  • Editora: Novo Século -SP.

SINOPSE:

Beth Fremont e Jennifer Scribner-Snyder sabem que alguém está monitorando seus e-mails de trabalho. (Todo mundo na redação sabe. É política da empresa.) Mas elas não conseguem levar isso tão a sério, e continuam trocando e-mails intermináveis e infinitamente hilariantes, discutindo cada aspecto de suas vidas.
Enquanto isso, Lincoln O’Neill não consegue acreditar que este é agora o seu trabalho – ler os e-mails de outras pessoas. Quando ele se candidatou para ser “agente de segurança da internet”, se imaginou construindo firewalls e desmascarando hackers – e não escrevendo um relatório toda vez que uma mensagem esportiva vinha acompanhada de uma piada suja. Quando Lincoln se depara com as mensagens de Beth e Jennifer, ele sabe que deveria denunciá-las. Mas ele não consegue deixar de se divertir e se cativar por suas histórias. No momento em que Lincoln percebe que está se apaixonado por Beth, é tarde demais para se apresentar. Afinal, o que ele diria…?

MINHAS CONSIDERAÇÕES:

anexos1

Eu vi esses dias alguém comentando sobre um livro e se eu não me engano, a pessoa classificou o livro como: drama de humor. Eu achei estranho, quer dizer ás vezes a vida é tão dramática que só nos resta rir, mas ainda sim. Eu nunca li um livro que poderia ser classificado assim, pelo menos, não na minha concepção.

Então, eu resolvi ler, Anexos…

E não tem outra maneira de classificar esse livro se não for com um: drama de humor.

Ao mesmo tempo em que Anexos conseguiu ser um dos livros mais engraçados que eu li nos últimos tempos, ele foi um dos mais tristes.

Pra inicio de conversa, eu não queria ler Anexos, era mais um caso de: vamos lá, já que você está ai. Na verdade, eu já tinha ele antes de Fangirl, mas a história se passa em 1999 e eu me achando muito moderna ignorei de primeira (apesar do meu livro favorito da vida se passar muuuito antes de 1999), a segunda coisa que me desencantou é que o livro é na terceira pessoa (eu sou uma leitora entojada) e a terceira coisa foi: MEU DEUS SERÁ QUE TEM ALGUÉM MONITORANDO MEU EMAIL???? (sofro de mania de perseguição também)

Lincoln é um personagem muito triste, mas é muito fofo. Acho que é o mesmo caso da Cather (Fangirl), parece que ele ficou confortável com o mundo que ele tinha. Do mesmo jeito que ele ficou confortável com todas as outras coisas na vida dele, como o emprego que ele odiava, a casa da mãe, a ex-namorada (que eu certamente odeio) e os amigos (não tanto pelos amigos, mas fazendo as mesmas coisas de sempre, não que isso seja errado também, só a maneira como ele fez).

Então, depois de fazer todas as faculdades que ele fez, ele volta para casa da mãe e ainda não sabe o que fazer da vida, então aceita um emprego que ele odeia em um jornal. No meio dos emails interceptados pelo programa de monitoramento, ele encontra emails de Jennifer e Beth, funcionárias do jornal, que ele deveria notificar por uso indevido do e-mail da empresa, mas ele acaba se envolvendo com os emails inteligentes e divertidos das garotas e não consegue notificá-las mais.

Beth, é uma crítica de cinema em um jornal, tem um namorado chamado Chris, que é um músico, mas não tem um emprego e basicamente, é sustentado por ela, eles estão juntos desde a faculdade e ela quer se casar. Jennifer é uma revisora de grandes matérias, é casada com Mitch (que parece ser um cara super legal), ele é louco para ter filhos, ela nem tanto.

Então a parte um pouco assustadora (mas nessa parte eu já estava super envolvida na história pra achar tão assustador assim), é que Lincoln sabe várias coisas sobre elas e como ele está lá todo se apaixonandinho pela Beth e nunca viu a Beth, mas conhece o namorado dela (porque Lincoln trabalha até de madrugada e fica passeando pela mesa dela pra ver se descobre qualquer coisa sobre como ela é fisicamente) e sai no loco indo de show em show do cara (que é um babaca, sim Chris, você é um BABACA), quer dizer quem faz isso?

Eu comecei a pensar, esse cara é um nerd que se vivesse hoje em dia seria um daqueles que não tem vida, joga uns jogos estranhos e vê pornografia o dia todo.

Mas então a gente consegue um vislumbre de Lincoln pelos olhos de Beth, ou melhor dizendo através dos emails trocados entre ela e Jennifer. Porque por mais incrível que pareça, Beth acaba percebendo ele e o apelida de ‘meu cara fofo’ e fala sobre ele nos emails com Jenni. No caso, eu percebi primeiro que ele, o que só adicionou muito ao fator fofura, porque sim, minha gente, nosso mocinho não era um nerd feio e estranho, só era um nerd muito bonito para o próprio bem e mal sabia disso.

A gente consegue ver a paixão surgindo entre os dois, sem ao menos eles se conhecerem. Mas a história é muito mais, a gente vê Lincoln crescendo, saindo da casinha, como dizem, amadurecendo. Em suma, é o drama de muita gente, que mesmo aos vinte e poucos ainda não se encontrou e não faz ideia de onde começar a se encontrar.

A escrita da Rainbow, é cativante, ela consegue prender o leitor do começo ao fim. Eu tinha notado isso em Fangirl, mas poderia ter sido só um caso de sorte, mas não, Anexos é tão bom quanto Fangirl e tão viciante, quanto.

Eu me peguei rindo muito e sentindo o vazio que o ‘não saber’ de Lincoln provocava nele. Eu me apaixonei junto com eles. Foi lindo.

Não é um livro tradicional do tipo mocinho encontra mocinha, eles se apaixonam e vivem felizes para sempre.

É o tipo de livro que eles se apaixonaram de um jeito tão diferente que eu tinha certeza que não ia dar certo e ficava torcendo para estar errada.

“Toda mulher quer um homem que se apaixone por sua alma, tanto quanto por seu corpo.”

Acho que é o tipo de livro que faz com que as pessoas (mesmo as como eu, que duvidam loucamente do amor e de coisas como se apaixonar e relacionamentos), queiram se apaixonar e acreditar que pode ser bonito e que pode dar certo e que há sim, um final bonito, um pouco incerto, mas feliz pra todo mundo no final. A gente só tem que deixar as coisas acontecerem, ou melhor ainda ajudar pra que elas aconteçam.

“– Se isso fosse um filme com Meg Ryan e Tom Hanks – disse Lincoln –, eu apenas beijaria você, provavelmente no meio de uma frase. Isso ajeitaria tudo.”

Enfim, pessoas lindas, leiam esse livro 😉

Obs: eu super me pareci como uma pessoa que usa a palavra “SUPER” para tudo. Eu super usei essa palavra nessa resenha. Não consigo parar de falar super agora. SUPER SUPER SUPER SUPER SUPER SUPER. Me sinto como um disco arranhado.

Anúncios

2 comentários sobre “RESENHA: ANEXOS – RAINBOW ROWELL

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s