RESENHA: WHERE ONE GOES – B.N. TOLER

BNT

  • Páginas: 258;
  • ISBN: 1507824483
  • Autor: B. N. Toler.
  • Data de Publicação: 18 de Março de 2015;
  • Gênero: Fantasia; Paranormal; Romance;
  • Idioma Original: Língua Inglesa.
  • Formato: E-book;
  • Classificação: 4.5/5 estrelas.
  • Você encontra na Amazon;

SINOPSE:

O que acontece quando a coisa que arruína sua vida acaba sendo a que te salva?

Eu nunca fui de acreditar em espíritos – até que seis anos atrás um acidente arrepiante mudou minha vida… para sempre.

Meu nome é Charlotte, mas a maioria das pessoas me chamam de Char… e eu tenho um dom especial.

Eu converso com os mortos.

Não se confunda, não posso chamá-los. Só consigo conversar com os espíritos que estão perambulando incapazes de fazer a travessia. Eles de alguma maneira estão presos no mundo com algum assunto inacabado. E por seis anos, eu usei bastante meu dom para ajudar suas almas perdidas.

Mas tudo vem com um preço. Minha vida é de escuridão. Me sentindo deprimida, comecei a querer desistir. E ajudando com a morte, percebi que não me permitir viver. Sem dinheiro, sem lugar para viver e o mais importante… sem esperança, decidi que só tenho uma opção – acabar com tudo.

Entretanto o destino é engraçado. Um minuto, estou a ponto de pular para a morte, e no minuto seguinte, sou salva por Ike McDermott. O soldado forte e surpreendente me impediu de colocar um fim no meu desespero. Ele é o tipo de cara que quando sorri ilumina todo o ambiente.

Doce e gentil.

Ele é o meu salvador.

E ele está morto.

Nós fizemos um acordo. Ele irá me ajudar a arrumar um lugar para ficar e um novo emprego e eu irei ajudá-lo com seus negócios inacabados para que ele possa fazer a travessia.

O assunto inacabado de Ike envolve seu irmão gêmeo, George. George está desmoronando desde a morte de Ike e Ike não consegue passar para o outro lado em paz até que saiba que George ficará bem.

Quando eu concordei em ajudar, pouco sabia que eu me apaixonaria pelas charmosas pessoas de Bath County, e… por Ike e George McDermott.

Agora, enquanto seu irmão tem metade do meu coração, estou de frente com uma situação cruel e nada justa. Salvando George, eu devo deixar Ike ir.

Entretanto como que alguém abre mão de metade do seu coração?

MINHAS CONSIDERAÇÕES:

bntoler

E esse é mais um livro da série: poderia ter um final mágico/milagroso/quero os personagens ressuscitando já.

Eu li um spoiler desse livro. Isso seria motivo suficiente para me fazer sair correndo dele o mais rápido possível, mas eu sou teimosa ou algo assim.

Where One Goes é o tipo de livro que você sabe qual é o final, mas que torce loucamente para qualquer coisa acontecer e mudar tudo, só para que o final que você quer, aconteça.

Pelo menos, foi assim, para mim.

Char, é uma personagem forte pra caramba, ela sofreu demais e ao invés de mergulhar no sofrimento ou cair na estrada da loucura, ela saiu por aí ajudando as almas com negócios inacabados, e quer dizer, vê-los, por si só, seria um motivo muito bom para ela ir lá e se jogar daquela ponte (nossa, acho que isso foi um spoiler, então, risca isso).

O assunto inacabado de Ike, é o irmão gêmeo dele, George. E ele não tem ideia de como ajudá-lo. Então, ele encontra Char. E o mais incrível de tudo? Ela pode vê-lo e falar com ele. Então, eles fazem um acordo: Ike, irá ajudá-la a colocar sua vida nos eixos, e em troca ela vai ajudar com George.

George encontrou o fundo do poço. Depois da morte do Irmão, ele começou a usar drogas e a beber loucamente. Além disso, ele está dormindo com a mulher do traficante da cidade, que é também, sua fornecedora.

Enquanto Ike, é doce, engraçado, charmoso e gentil, George está imerso na escuridão (e sinceramente eu não gostei muito dele, eu sou #TeamIke), ele é distante e estúpido, muito envolvido em seu próprio drama para sequer olhar ao redor.

Char, não consegue se impedir de se apaixonar pelos dois irmãos. Ike foi a primeira alma a colocá-la em primeiro lugar, a se importar com ela, acho que ele acaba sendo melhor amigo dela e George, bem, eu acho (ESSA É MINHA OPINIÃO), que ela foi obviamente atraída pela aparência dele, porque ele é igualzinho o irmão morto e ele está morto, enquanto George não, ele tá lá, vivinho da silva. Mas também tem o fator “uma alma quebrada reconhece a outra”. Porque Char está realmente quebrada, desde a morte do irmão e todo o lance de ver espíritos, que tirou tudo dela. Eu também acho que se Ike estivesse vivo, ela não olharia duas vezes para George, mas o que eu sei não é? E eu até entendo o apelo badboy com alma torturada.

Ike também se apaixona por Char e isso é apenas… muito injusto? É muito sofrimento, serião. Como é que você deixa ir o amor da sua vida? Como é que isso fica mais fácil? Como é que você deixa ir os pensamentos do que poderia ter, em futuro com alguém? E pior do que isso, o que fazer quando você não tem outra escolha?

E George (o gêmeo mais estúpido), também se apaixona por Char, conforme ela consegue quebrar suas defesas e chegar até ele. Mas como é que se diz para alguém: Hum, hey, eu falo com seu irmão morto, ele me trouxe aqui, ele me contou sua música favorita e ah, já ia me esquecendo, ele tá aqui do meu lado, quer dizer um ‘oi’? Não, não é nada simples.

“- Ele me salvou para que eu pudesse salvar você, o que significa que você me salvou também.”

Além de todos os problemas emocionais de Char, o assunto inacabado do último espírito que ela ajudou volta para assombrá-la (não literalmente), o que acaba, colocando-a como a principal suspeita de um crime que ela não cometeu e acaba trazendo o pai de Charlotte até ela (pai esse, que achava que ela era louca e mandou ela sumir) e acaba acelerando o processo de contar a verdade a todos, o que pode fazer com que eles achem que ela está louca ou pode fazer com que eles a odeiem.

“Eu quero você. Toda você. O bom, o mau e o feio. Eu amo você.”

Sabe aquele nó insuportável na garganta? Isso é o que eu fiquei segurando desde que eu comecei a ler o livro e enquanto me apaixonava por Ike junto com a Char e quando finalmente… (não, espera, não vou contar isso).

“- Eu te amo, Ike McDermott.
– Eu também te amo, baby girl – ele sussurra. – Aqui, lá e para sempre.”

O livro é apaixonante (sim, eu tenho essa capacidade ninja de me apaixonar por objetos inanimados e realidades paralelas e fantasiosas), as pessoas da cidade, o caras fodões do exército (Sniper <3), Johnny Cash, o enredo todo, tudo. Não, menos a parte em que Ike, está obviamente muito morto. Ah, e o pai de Char, aquele bastardo (idiota, idiota, idiota, idiota).

Apesar de ser de cortar o coração (com todo o lance de amor impossível entre vivos e mortos e não ter o final que eu queria), o livro é leve, até mesmo engraçado e envolvente, eu não consegui largar a leitura enquanto não terminei. Ele não fala só sobre amor, ele fala sobre sacrifícios e deixar ir, fala sobre segundas chances, porque todo mundo merece uma chance e que mesmo no fundo do poço dá pra ver a luz lá em cima. E que apenas estar vivo, é um motivo bom o suficiente para agradecer.

Então, NÃO leia esse livro.

Ou leia esse livro e ajude a encher a cantareira.

“- Eu vou amá-la por nós dois, Ike – eu sussurro.”

Obs: Vou escrever uma fanfic, só pra dar o final que eu queria 🙂

Ok, isso é MENTIRA, eu não vou, só queria salientar minha insatisfação com todos esses personagens mortos desnecessariamente :/

Anúncios

2 comentários sobre “RESENHA: WHERE ONE GOES – B.N. TOLER

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s