RESENHA: O LIVRO DO AMANHÃ – CECELIA AHERN.

o livro do amanhã

  • Páginas: 368;
  • ISBN:  9788581630342;
  • Autor: Cecelia Ahern;
  • Data de Publicação no Brasil: 18 de Fevereiro de 2013;
  • Gênero: Romance. Ficção Fantástica;
  • Idioma Original: Língua Inglesa;
  • Idioma: Português;
  • Formato: Físico.
  • Classificação: 4/5 estrelas;
  • Editora: Novo Conceito.

SINOPSE:

Tamara Goodwin sempre teve tudo o que quis e nunca precisou pensar no amanhã. Contudo, de repente, seu mundo vira de cabeça para baixo e ela precisa trocar sua confortável vida da metrópole por uma cidadezinha do interior. Assim, Tamara logo se sente solitária e louca para voltar para casa.
Então, uma biblioteca itinerante chega ao vilarejo, trazendo junto um misterioso livro de couro trancado com uma fivela dourada e um cadeado. O que Tamara descobre ao longo de suas páginas a deixa surpresa. E tudo começa a mudar das maneiras mais inesperadas possíveis… Será possível mudar o amanhã?

MINHAS CONSIDERAÇÕES:

o livro do amanhã. quote

Acho que todo mundo já assistiu, ou já ouviu falar de P.S. Eu te amo. né? E uma parte, já não tão grande assim da pessoas, sabe que o filme é uma adaptação do livro de mesmo nome da autora Cecelia Ahern. Levando todo esse sucesso em consideração (porque vamos ser sinceros, se eu choro toda vez com esse filme ele dever ser alguma coisa né? Ou é só meu problema de ver pessoas chorando e chorar também), não dá pra ler qualquer outra coisa dela e não chegar lá com todas as suas expectativas altas. Principalmente, depois de ter lido Simplesmente Acontece, e não ter se decepcionado.

Mas hoje não tô aqui pra falar de nenhum dos dois livros, que na minha opinião, pelo fato de terem ido parar nas telonas, são os mais conhecidos (ou era apenas minha pessoa que não tinha lido esse livro ainda).

Há algum tempo, me arrisco dizer, talvez já a mais de um ano, eu comecei a ler O Livro do Amanhã, o começo era interessante, algo sobre histórias que nunca foram contadas antes e eu fiquei super animada, até que apareceu outro livro que eu queria ler mais e acabei deixando para trás, sem nem mesmo avançar muito.

E eu me lembro de ter pego ele outras vezes para ler, mas sempre aparecia outro livro. Esses dias, estava eu procurando uma coisa diferente pra ler e me deparei com ele de novo. Tudo que eu sabia sobre o livro, eram as ótimas referências da autora, e que provavelmente o livro era sobre a história de um livro que falava sobre o amanhã e que eu abandonava ele toda vez, sem nunca sair da primeira página.

Mesmo assim, imaginei algum romance, com alguma morte, e um livro mágico que fazia a personagem seguir em frente, mas acima de tudo, um romance, em vias de ser impossível ou algo assim.

Confesso que as primeiras páginas eu meio que tava me obrigando a ler, porque aquilo ali tava muito chato, sério, cadê a parte em que eu choro? Mas ficava pensando, não pode ficar nesse lenga-lenga todo pra sempre. E não ficou, não sei bem em que página, ou capítulo deixei de esperar que o livro ficasse interessante, e comecei a ficar curiosa, mas vou tentar falar um pouco sobre a história e esclarecer os pontos um pouco.

Tamara, é a personagem principal. Seu pai cometeu suicídio, o banco levou tudo dela e de sua mãe e elas foram obrigadas a pedir ajuda do irmão da mãe dela e de sua esposa. Eles moravam em uma cidade minúscula, na guarita de um castelo em ruínas. A mãe de Tamara, parecia estar em transe, ela apenas sorria e utilizava frases genéricas, sempre de robe e dormindo o dia todo. Claro que Tamara sendo a filha única e mimada de um pai super rico, não está lidando muito bem com toda aquela situação, além de que, a mãe não fala sobre como será o futuro das duas. Seu tio Arthur deixa escapar poucas palavras e uns poucos grunhidos, a mulher dele Rosaleen, não sabe manter uma conversa inteira. Então, um dia um rapaz aparece dirigindo um ônibus, que é na verdade uma biblioteca itinerante e lá, Tamara, acaba encontrando um livro com um cadeado, mas nenhuma chave. Ela acaba conseguindo abrir o livro, com a ajuda de uma freira, que diz com muita convicção que Tamara tem 17 anos e não 16, e descobre que o livro está vazio, todas as páginas em branco.

Então, a freira, Irmã Ignatius, sugere que ela escreva no diário. No inicio, ela não acha a ideia tão boa assim, na verdade, acha uma tolice. Mas acaba cedendo e quando um dia se senta no castelo para começar a escrever, descobre que as páginas não estão tão em branco como ela imaginava. Alguém esteve escrevendo lá, mas aquela caligrafia se parece muito com a dela. O único problema, é: os acontecimentos retratados lá, nunca aconteceram e tem a data do dia seguinte. Ela até tenta ignorar, até que no dia seguinte, tudo o que o diário dizia acontece.

A história toda está recheada de pequenos detalhes que revelam o grande mistério por trás de todos aqueles segredos e momentos estranhos que Tamara vem observando ao redor de Arthur e Rosaleen.

Não é que esse livro não seja tão bom como os outros da autora, mas ele é completamente diferente e nada do que eu imaginei que seria, mas um diferente bom, não ruim. Fiquei super envolvida com a história e quase não conseguia dormir para continuar a ler e descobrir tudo de uma vez. É verdade que, Tamara não é uma das personagens mais simpáticas, mas ela é bem verdadeira (eu ia dizer bem humana, mas eu meio que digo isso um monte, então, estou saindo em busca de maneiras novas de dizer isso sem dizer), meio superficial, impulsiva, talvez um pouco imatura, mas depois de tudo o que ela passou e descobriu no final de todo aquele mistério, ela meio que merece ser perdoada.

“Aprendi algo importante naquela noite. Não se deve tentar impedir tudo de acontecer. Às vezes, devemos esperar ficar sem jeito. Às vezes, também, devemos aceitar a possibilidade de ficar vulnerável diante de pessoas. Às vezes isso é necessário porque tudo faz parte de você chegar à parte seguinte de si mesma, no dia seguinte.”

É um livro que definitivamente fala sobre amor, mas se você tá aí procurando mais um livro de romance que vai fazer você se debulhar em lágrimas e seu coração torcer para que eles sejam felizes no final, esse é o livro errado. Ele é mais sobre até que ponto esse amor é realmente amor, se ele excede todos os limites ou se você pode ir lá e tomar a decisão, que é a melhor na sua opinião, mas que não cabe somente a você.

A autora nos deixa com a pergunta: se você soubesse o que vai acontecer amanhã, o que você faria? Você o consertaria? Será que você conseguiria?

Eu definitivamente não sei se queria ter uma responsabilidade tão grande assim, mas e vocês, o que fariam com O livro do amanhã?

E por hoje é isso, pessoas bonitas, cuidem-se 😉

Anúncios

3 comentários sobre “RESENHA: O LIVRO DO AMANHÃ – CECELIA AHERN.

  1. Jullie Bezz disse:

    Esse livro é ótimo! Li no começo do ano passado e veio justamente em um mometno que não queria romance. E como a história tinhas aqueles mistérios todos, rapidamente me prendeu e não larguei até acabar. Engraçado que geralmente compro livro na queima de estoque ( Ele tava por R$ 10,00!) e sempre são livros ótimos! Amo os livros dela,além desse, tenho o P.S Eu te amo e o Simplesmente acontece. Os livros dela nunca me desapontam 🙂

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s