TAG: NÃO AO PRECONCEITO LITERÁRIO + TAG: EU NUNCA.

TAG -EU NUNCA + NÃO AO PRECONCEITO LITERÁRIO

Ei vocês, tudo certo?

Fui indicada pela Stefany do blog Maré de Livros a responder duas tags: “Não ao preconceito literário” e “Eu nunca”. Adorei as tag’s, muito obrigada pela indicação. Mesmo.

Vou responder as duas aqui no mesmo post, vamos lá:

TAG: NÃO AO PRECONCEITO LITERÁRIO.

Um livro de autoajuda: Vou dizer três, porque sou rebelde e não gosto de seguir as regras: Não se apega não e Não se iluda não da Isabela Freitas e A Magia do Marketing Pessoal, que é um livro super bacana que eu li quando tava na faculdade, do Edmundo Vieira Cortez, leiam.

Um livro de romance: Como eu era antes de você – Jojo Moyes.

Um livro infanto-juvenil: Byte Coração – Rita Espeschit.

Um livro teen: Garota Online – Zoe Sug.

Um livro de fantasia: Harry Potter (lálálá).

Um livro de terror: Where One Goes kkkkk vou deixar isso aí mesmo, chorei que foi um horror. Brincadeira, Formaturas Infernais.

Um livro de ficção científica: Flores para Algernon – Daniel Keyes.

Um livro de suspense: A garota no trem – Paula Hawkins.

Literatura Nacional: Qualquer um da Carina linda&diva Rissi. 

Literatura Estrangeira: Quem é você Alasca? – John Green.

Distopia: A Hospedeira – Stephenie Meyer.

Um livro de drama: O Caçador de Pipas – Khaled Hosseini.

Um livro de comédia: The Virgin Romance Novelist – Meghan Quinn.

Um livro New Adult: Confess – Colleen Hoover.

Um livro erótico: Black Lies – Alessandra Torre.

Um livro Chick-lit: Fiquei com o seu número – Sophie Kinsella.

Policial: Eu acho que nunca li um livro desse gênero, mas acho que foi mais por falta de oportunidade do que qualquer coisa.

Gostaria de terminar dizendo que se você tem preconceito com qualquer tipo de livro, você é idiota e não merece ser chamado de leitor. Você tem todo o direito de não gostar de um determinado gênero de leitura, mas tem que ter discernimento o suficiente para respeitar todos os outros gêneros, todos os tipos de escrita e todas as histórias, sejam elas quais forem. E principalmente, você só pode julgar e/ou formar uma opinião sobre qualquer assunto se souber exatamente do que está falando, ter um certo conhecimento sobre o assunto, ou seja, se você sai por aí falando mal de um livro e nunca, nem sequer deu uma chance a ele, você é um babaca ignorante.


TAG: EU NUNCA.

Eu nunca usei: Um daqueles sapatos divos de sola vermelha (Louboutins) :/

Eu nunca fui: na montanha russa (loser).

Eu nunca comi: Sushi; Camarão; Tiramisu; Batata doce roxa; etc, etc, etc.

Eu nunca viajei: de avião.

Eu nunca tive interesse: em música eletrônica.

Eu nunca ganhei: um porshe amarelo e Louboutins :/ kkkk

Eu nunca falei: mandarim;

Eu nunca soltei: um eu te amo equivocado. 

Ok, essa última tag foi meio terrível de responder, existem sei lá, milhões de possibilidades para responder qualquer uma dessas perguntas. Me senti pressionada a responder algo relevante, mas percebi que eu parecia bem besta, então respondi a primeira coisa que veio na cabeça.



É isso gente, adorei responder essas tag’s (a segunda nem tanto), e descobri que meu coração de leitora é meio vagabundo e que eu leio qualquer coisa, sem nem ter certeza do gênero, só os mais óbvios, mas foi bom… acho.

Enfim, beijo pra vocês.

Cuidem-se.

TAG: LIVROS E ADAPTAÇÕES.

logog

Ei, vocês pessoas, tudo certinho?

Hoje eu vim aqui responder a #TAG: LIVROS E ADAPTAÇÕES.

A Mayara do blog Devaneadora de Ideias, me indicou, então, muito obrigada 😉

Vamos lá:

 

1 – Qual sua adaptação preferida?

R: Harry Potter.

2 – Qual adaptação você mais detesta?

R: Nunca pensei sobre isso, mas acho que Vampire Academy e Os Instrumentos Mortais (o filme, não a série, a série é realmente, REALMENTE ótima). 

3 – Qual adaptação você está ansioso para ver?

R: Como eu era antes de você. ❤ e Ugly Love.  

4 – Qual a última adaptação que você assistiu?

R: E se eu ficar.

5 – Qual personagem você achou bem adaptado?

R: Vale o Capitão América? Kkk Brincadeira (mais ou menos, o Chris é muito amor, gente). Mas não sei, tem muito personagem que ficou ótimo nas telonas.

6 – Qual personagem você não achou bem adaptado?

R: Rose Hathaway.

7 – Qual adaptação irá estrear em breve e você está ansioso para ler o livro?

R: Gente, eu quero muito assistir Jogos Vorazes e Divergente. Sei que não é realmente uma estréia, mas sim, eu ainda não comecei a assistir nenhuma das duas franquias, mas acho estranho ir lá e assistir sem saber nada de ambas. Mas assim, que eu tiver um tempo…

8 – Qual livro você quer adaptação?

R: Fallen, Crossfire, Beautiful Disaster…

Sim, eu sou super clichê 😉

9 – Quais os três filmes que você assistiu e ainda não leu o livro?

R: Cidades de Papel, E se eu ficar e a maioria das adaptações do Sparks.

É, eu sou uma pessoa horrível, não consigo ler os livros dele, sem chorar até quase secar.



 

É isso, gente. Não vou indicar ninguém porque tô meio atrasada e todo mundo já respondeu, mas se você não, então sinta-se indicado.

Adorei responder.

Cuidem-se, vocês.

 

TAG: A PRIMEIRA VEZ A GENTE NUNCA ESQUECE.

tag apvagne

Ei, vocês pessoas bonitas de mio core, tudo certinho?

Hoje eu vim responder a Tag “A primeira vez a gente nunca esquece”, a Danielle Viturino do blog Literatus Terapia me indicou . É uma Tag bem legal, já vi umas respostas e me identifiquei com várias situações. A Tag foi criada pelo 7seasons, e consiste em contar sobre uma primeira vez memorável, seja ela, engraçada, triste ou assustadora e no final terminar com: “a primeira vez a gente nunca esquece”.

Bem, adorei responder, muito obrigada pela indicação, Dani.

Eu provavelmente deveria contar sobre meu primeiro contato com livros, ou a primeira vez que eu me apaixonei (eu tinha três anos e isso voltou pra bater na minha bunda quando eu tava na oitava série, não queiram saber), sobre meu primeiro beijo, sobre a primeira vez que eu matei aula e fui pega, ou ainda sobre a primeira vez (e única, graças aos céus), em que eu fui assaltada.

Mas eu resolvi contar uma coisa que hoje em dia é até engraçada, ok, no dia não foi e hoje é um tipo de engraçado cheio de alívio, então é meio terrível.

Eu tenho um histórico terrível com shows, mesmo. No meu primeiro festival de música eu cochilei real no show do Skank, de pé, quase em frente ao palco e a memória do celular fez aquela coisa maravilhosa de ir para o espaço quando a gente tava na frente do hotel e uma banda gringa (da qual, só eu conhecia o vocalista), parou pra falar com a gente. Além, do fato, um pouco vergonhoso de minha pessoa ter quase discutido com a vocalista de um dos grupos do festival. E essa não é nem a pior parte, a gente tinha que apresentar carteirinha de estudante e eu fui lá e fiz o que? Isso mesmo! Eu esqueci e não queriam me deixar entrar. Minha amiga inventou uma história muito comovente, de como eu tinha vindo do interior de Minas, só pra ver o show e o resto é história.

Mas o que eu vim mesmo dividir com vocês hoje, é a primeira vez em que eu entrei no camarim de um grupo que eu era louca na época em que aconteceu (porque sou velha demais, e vamos fingir que não foi só a apenas 5 anos atrás), o Bonde da Stronda (ME JULGUEM!). Sim, parando pra pensar, eu não me lembro muito bem, porque eu gostava tanto deles.

Tudo deu errado, desde o momento em que eu e minha melhor amiga ficamos sabendo sobre o show. Tudo. Desde roupa, sapato, até os ingressos e a carona para o show, porque afinal de contas, era em outra cidade, uma cidade vizinha, mas ainda assim, eu tinha 17 e minha amiga 15 ou 16, não me lembro (sou uma amiga terrível, eu sou bem ciente disso, obrigada), e é meio complicado tudo isso com os pais e tal.

Então o que a gente fez? Eu disse pra minha mãe que a gente ia com um primo da minha amiga e ela disse pra mãe dela que a gente ia com a minha irmã, mas a gente ia de busão. Detalhes: a gente não conhecia a cidade direito e não tinha ingresso garantido, porque só vendiam na hora, além de que, android não era a coisa mais popular e não tinha Google Maps a mão não gente, a gente tava mais perdida que freira em conversa de prostituta. Quer dizer, mesmo que a gente tivesse, cê não anda com celular na mão naquelas ruas escuras por bosta de um lugar que cê não sabe nada.

A gente foi pra rodoviária e tinha planos de perguntar pro motorista mais ou menos, se ele sabia onde a gente poderia descer pra ir lá no tal lugar, não me lembro bem se a gente perguntou ou não, sei que entraram uns meninos no ônibus na última hora e eles usavam umas camisetas (caseiras kkkk, desculpa, eu não sei explicar porque eu realmente acho isso engraçado, deve ser porque eles desenharam as próprias mãos na camiseta, tipo coisa de criança, sei lá), continuando, camisetas que eles mesmo customizaram rs, do bds, e depois de uma conversa um pouco constrangedora a gente combinou de ir com eles, porque nas nossas cabeças um pouco menos pensantes que o normal, a gente achou que eles sabiam pra onde estavam indo. Mas eles não sabiam porcaria nenhuma.

Não me lembro bem, mas alguém deu umas direções pra gente e a gente acabou numa escola e bem perdidos a gente ligou pra polícia (nossa isso soou muito tosco, por isso não saio contando os detalhes pras pessoas), polícia essa que nos deus as melhores direções que consistiam em rotatórias, que eram muitas, nunca vi tanta rotatória na vida, juro pra vocês e a gente continuava perdido. Depois de duzentas mil rotatórias, uma rua escura e uma conversa por interfone num estabelecimento suspeito pra caramba, a gente achou o lugar.

A gente conseguiu entrar, comprou camarote, e mal entramos, eu vi um cara que ia de ônibus comigo pra faculdade, ele tava trabalhando lá.

Deixa eu dar um conselho pra vocês, se eu puder dar conselho pra vocês levarem pra vida é esse: NÃO ANDEM DE COSTAS NUM LUGAR QUE VOCÊ NÃO CONHECE, PRINCIPALMENTE SE ESTIVER ESCURO E SE O CARA QUE VOCÊ TA NEGANDO UMA CONVERSA AMIGÁVEL FOR O CARA QUE VOCÊ QUER DAR UNS PEGAS LOUCAMENTE.

Opa, não.

Risca essa parte.

Eu caí. E meu sapato praticamente voou.

E eu ri pra caramba pra disfarçar o constrangimento.

Não dava nem pra fingir embriaguez porque a gente tinha acabado de chegar e ele tava na porta do camarote que a gente não tinha sequer entrado.

Enfim, vida que segue, depois de um tempo pra me recompor no banheiro (que consistiu basicamente em querer morar la dentro, dane-se diego, dane-se leozinho), os caras chegaram e finalmente a gente foi lá conhecer eles tietar e tirar fotos, porque a gente conhecia um cara que tava trabalhando na organização e tal. Tudo muito legal, certo?

Não. Errado!

Tudo bem, que eu vou lembrar pra sempre que Leonardo me deu os melhores abraços e que eu queria morar neles, mas fora a cara de louca e assustada pras fotos que que as duas belezas fazem? Elas dizem assim pra eles: a gente ama as músicas de vocês, elas são lindas e blábláblá, só que os caras são famosos por cantar música de putaria, pegação e tal, gente que vergonha.

Enfim, o show passou, a gente entrou lá no final de novo, mais fotos com cara de assustada, uma câmera que não queria pegar, Leozinho dizendo pra minha amiga: “Você pode fazer o que você quiser. ” E não acontecendo nada. Um pouco de drama bêbado.

E agora, como é que a gente volta pra casa? Isso mesmo, a gente não tinha com quem voltar. No final a gente voltou de carro com os seguranças da festa que a gente nunca viu na vida. Deu tudo certo e tal, mas gente, imagina o perigo disso! Quatro ou cinco caras que a gente nunca viu na vida, numa viagem de mais ou menos meia hora e ninguém sabia que a gente tava com eles.

Sério, não façam isso em casa.

E toda vez que eu e minha amiga lembramos sobre isso, rimos de tudo, porque afinal de contas, apesar de ser um pouco louco foi maravilhoso e “a primeira vez a gente nunca esquece. ”

É isso, gente, adorei responder essa Tag.

Cuidem-se, vocês ❤

TAG: 8 COISAS.

tag 8 coisas

Ei vocês, pessoas. Tudo certinho?

Hoje eu vim aqui responder a #TAG: 8 COISAS, também conhecida como #TAG DAS 8, que consiste basicamente em apontar 8 coisas em cada tópico.

Queria agradecer a Jana do blog COISAS AMÁVEIS, que muito lindamente me indicou. Muitíssimo obrigada, sua linda.

Mas, porém e entretanto, já conheço essa tag e uma variação dela tem outros dois tópicos que vou responder aqui também.

Vamos lá:

8 Coisas para fazer antes de morrer:

  1. Conhecer a Times Square.
  2. Intercâmbio pra Espanha.
  3. Terminar de escrever um livro.
  4. Perder o medo de altura.
  5. Fazer uma tatuagem (mas só depois de superar a fobia de agulhas).
  6. Aprender Italiano.
  7. Me apaixonar.
  8. Viver sem arrependimentos.

8 Coisas que amo:
Obs: Não necessariamente nessa ordem.

  1. Minha família.
  2. Sprite.
  3. Lasanha.
  4. Livros.
  5. Deus.
  6. Cheiro de livros.
  7. Meus amigos.
  8. Ganhar livros/Comprar livros.

8 Coisas que odeio:

  1. Mentira.
  2. Injustiça.
  3. Cebola (eeeeca).
  4. Gente que zoa quem fala porrrta.
  5. Gente que come de tudo e não engorda.
  6. Hipocrisia.
  7. Computador travando.
  8. Pessoas que acordam lindas e que continuam com o rímel intacto depois de chorar litros.

8 Coisas que eu falo:

  1. #VAISAFADÃO (passa o comercial dele 200 vezes por dia na minha tv, é pior que chiclete).
  2. Livro.
  3. sua linda.
  4. realmente.
  5. ah, cala a boca júlia.
  6. mano.
  7. tô com fome /o que tem de bom pra comer?
  8. nossa, eu sou muito engraçada, vou largar essa vida e viver de stand up comedy.

8 Makes/Roupas:

  1. Rímel.
  2. Anéis dourados.
  3. Jeans.
  4. Corretivo.
  5. Camisetas e blusas ‘podrinhas’.
  6. Shorts.
  7. Pijama (a-ha).
  8. Anéis de caveira.

8 Coisas/ objeto que não vivo sem:
 1. Oxigênio (kkkk, ok parei).

  1. Celular.
  2. Notebook.
  3. Livros.
  4. Garrafa d’água.
  5. Vale música, né?
  6. Cama.
  7. Antialérgico.
  8. Carregadores.

8 filmes/livros/jogos/séries que eu amo:

  1. Supernatural
  2. TVD.
  3. TWD.
  4. 500 Days of Summer.
  5. Elvis e Anabelle.
  6. The Duff (filme e livro).
  7. Archer’s Voice.
  8. Harry Potter (livros e filmes).

8 Blogs que indico para responder a tag:

  1. Eu
  2. Não
  3. Sei
  4. Quem
  5. Indicar
  6. Por motivos dê:
  7. Sou tímida pra taguear as pessoas.
  8. kkkk.

Então, galera.
Vou fazer a chata e não vou indicar ninguém, por motivos dê: todo mundo já respondeu essa tag, ou pelo menos, todo mundo que eu não tenho vergonha de taguear.
Mas quem quiser, sinta-se a vontade pra responder.

E por hoje, é isso, pessoas.

Cuidem-se vocês.

Paz ❤

TAG: SE EU FOSSE, E PORQUÊ.

tag - se eu fosse e porque

Olá personas, tudo bem com vocês?

Estava eu procurando uma tag, que nada tinha a ver com essa (no caso, uma que eu suspeito que nem exista), quando me deparei com essa e gostei das perguntas e resolvi responder. Pra variar, não salvei o blog, só as perguntas, então se você pessoa que idealizou essa tag ver esse post me avise 😉

Essa TAG é bem simples:

Você responde as perguntas e o porquê de cada uma delas.

Vamos lá:

1 – Se eu fosse um mês: eu seria setembro, porque é meu aniversário kk, não, realmente, eu gosto do nome SETEMBRO, e ele é o mês da primavera. Não sei porque, mas tem algo mágico em relação a ela, ou a ideia dela.

2 – Se eu fosse um dia da semana: eu seria quinta-feira. Porque, não é tão popular como a sexta, mas é tão boa quanto. Chega a quinta e já vem aquela sensação de alívio, ansiedade.

3 – Se eu fosse uma estação do ano: seria a primavera. Vide a primeira pergunta.

4 – Se eu fosse um planeta: eu seria aquele lá com anéis. Saturno né? kk

5 – Se eu fosse uma direção: eu seria a esquerda, ou o sul? Porque, eu não entendi bem o que tipo de direção seria essa, mas se for sobre carros, eu seria tudo sobre direção perigosa kk.

6 – Se eu fosse um móvel: eu seria uma cristaleira. Porque é antigo, tem charme, classe, requinte. Compre você também uma cristaleira com a gente. Não, pera… Mas, se eu não fosse uma cristaleira, poderia ser uma cama, que é onde as pessoas passam boa parte de suas vidas e pelos mais diversos tipos de emoção.

7 – Se eu fosse um pecado: eu seria a gula. Porque não tem dieta no mundo que resista a uma lasanha ou brigadeiro, migos.

8 – Se eu fosse um sentido: eu seria a visão. Porque observando a gente aprende muito sobre tudo, principalmente, as pessoas.

9 – Se eu fosse uma pedra: eu seria uma safira. Porque safiras são azuis, e azul é vida ❤

10 – Se eu fosse uma planta: eu seria um cacto. Porque apesar dos espinhos, é lindo quando floresce.

11 – Se eu fosse uma flor: cacto é flor né?

12 – Se eu fosse um clima: “se as pessoas fossem chuva, eu era garoa e ela, um furacão” (leia).

13 –  Se eu fosse um prato: eu seria profiteroles. Porque (dãar), carolinas.

14 – Se eu fosse um instrumento musical: eu seria uma harpa. Por nenhum motivo especifico, além de me remeter (sabe Deus porque), ao Olimpo e aos deuses. Ou porque eu sou estranha.

15 –  Se eu fosse um elemento: seria o ar. Porque, caramba ar é invisível kk, mas falando sério, é invisível e carrega vida, tipo, como é que se explica isso?

16 – Se eu fosse uma cor: seria azul. Por nenhum outro motivo, além de ser minha cor favorita, mas teria que ser azul royal.

17 – Se eu fosse um animal: seria um pássaro. Porque pássaros parecem tão serenos, livres, além de estarem sempre tão perto do céu. Menos as pombas, elas não. Elas estão sempre naquela árvore, acima do banco onde eu vou sentar para elas conseguirem fazer a sujeirinha delas bem ali, em cima de mim.

18 – Se eu fosse um som: eu seria um suspiro. Suspiro é som né? Porque ele pode expressar qualquer tipo de reação e emoção de alegria extrema a surpresa extrema.

19 – Se eu fosse um sentimento: eu seria a saudade. Talvez, eu até seja.

20 – Se eu fosse um lugar: eu seria uma praia paradisíaca. A resposta deveria ser autoexplicativa.

21 – Se eu fosse um sabor: eu seria aqueles ácidos de chiclete. Porque aqueles chicletes são os meus favoritos e porque algo sobre passar pelo sabor ácido, para depois saborear o doce daria uma boa metáfora.

22 – Se eu fosse uma palavra: eu seria Clichê. Tudo o que é clichê me encanta. A palavra já é bonita, simples, estranha, meio enjoada, mas mesmo assim, bonita.

23 – Se eu fosse um objeto: seria um livro. Porque ler é a melhor coisa, e aquele clichê todo, onde lendo a gente viaja sem sair de casa, aprende, sofre, sente e se apaixona.

24 –  Se eu fosse uma parte do corpo: seria o cérebro. Porque eu sou muito racional.

25 –  Se eu fosse um número: seria o 30. Porque, é o único que eu consegui pensar e porque é o dia do meu aniversário. Deve ter alguma relação kk

26 – Se eu fosse um símbolo: eu seria parênteses. Não sei se é o tipo de resposta certa, mas acho que alguns parênteses guardam muito mais significados do que alguns parágrafos inteiros.

27 – Se eu fosse uma música: eu seria Open Your Eyes do Snow Patrol. Já vou adiantar, que não é minha música favorita, e também não pela letra, até porque pras músicas gringas eu sempre fui muito ‘dane-se’, mas é o sentimento que ela traz, um sentimento de saudade, e aquele frio na barriga, aquela pequena ansiedade quando tá chegando no final de que algo grande vai acontecer, ou simplesmente porque está chegando ao fim.

Enfim, é isso gente.

(Aviso: devido a minha recente adesão ao estilo de vida eremita, esse post pode ter sido programado.)

Cuidem-se amores ❤

TAG: DESCOBRINDO NOVOS BLOGS.

Olá pessoas bonitas, tudo certinho com vocês? Espero que sim.

Então, hoje eu vim aqui responder a #TAG: Descobrindo Novos Blogs. A linda da Leisi do blog Amanhecer Literário me indicou.

Muitíssimo obrigada, adorei responder as perguntas 😉

tag- descobrindo...

Regras:

  • Agradecer a quem te indicou, colocando o nome e o blog da pessoa que te indicou;
  • Responder as perguntas abaixo;
  • Indicar até 10 blogueiros para responderem a tag;
  • Avisá-los do convite;
  • Formular 10 perguntas para eles responderem.

Vamos lá:

1 – Um animal? Por quê?
Onça. Porque no lugar onde eu moro (sou uma camponesa), todo mundo já viu uma onça em casa, menos eu. Não que isso seja uma coisa ruim, nem muito boa. Porém, acho isso preconceito com minha pessoa kk, então se eu parar de postar aqui cês já sabem que encontrei a onça… ou ela me encontrou kk

2 – Você é chato(a)?
Bastante, e com muita coisa, mas minha opinião meio que não conta.

3 – Se eu te desse 10 mil o que você faria?
Viraria sua melhor amiga? kkk
Brincadeira.
Depende, porque alguém me daria dez mil do nada?

4 – Sua cidade vai ser soterrada e você não vai sobreviver, qual é a ultima pessoa que você gostaria de ver?
Nossa que bênção, minha cidade vai ser soterrada? Sério mesmo? Por favor nunca de pedi nada kkk
Eu moro longe da cidade, mas eu gostaria de ver minha avó, ou prima, que por acaso moram em outra cidade e não podem vir me ver, então eu iria ver elas e talvez ficar viva (sim, eu meio que tenho um plano de contingência caso minha ‘amada’ cidade suma do mapa).

5 – Quando você está triste, o que você faz?
Fico mal humorada.
Mas se tiver na bad real, eu leio Fernando Pessoa e o mundo fica menos triste.
E fiz um post onde eu falo sobre isso (leiam).

6 – Você já chorou porque estava se sentindo muito feliz?
De alívio sim, felicidade não me lembro.

7 – Comida preferida?
Lasanha ❤

8 – Tem vontade de fazer uma tatuagem? O que? Qual o significado?
Eu tenho medo de agulhas, mas se fosse, escreveria alguma coisa no interior do pulso, ou na costela (os lugares mais doloridos, eu sei).
Agora se eu fosse super-hiper-ultra-mega-power corajosa, tatuaria asas de anjo nas costas, eu não sei bem porque, mas sempre achei lindo e me passa uma sensação de proteção à mais, mas bem, isso não vai acontecer não kkk

9 – Música Clássica ou Rock?
Rock clássico.

10 – Descreva você!

Tenho 1,63, tenho cabelos compridos castanhos e… pera, não era isso né? kk

Essa é a pergunta mais difícil.

Mas, ok.

Deixa eu ver.

Eu sou tímida, penso demais, sou ansiosa, boa amiga, boa ouvinte e boa com problemas (principalmente dos outros). Dizer que eu sou inteligente seria algo como, muita prepotência, então não vou, mas sou uma leitora e estudante (embora oficialmente não estude mais) dedicada. Sarcástica, inconstante, meio ácida, faço piadas horríveis e rio sozinha, sou organizada por fora, mas uma bagunça comigo mesma, não sou boa em expressar sentimentos (sou emocionalmente retardada, mas isso, cês já tão cansados de saber), guardo meus problemas só pra mim. Sou cabeça dura, persistente e faço um mousse sensacional kkk, não sei mais o que dizer, então acho que é isso.

É isso, pessoas, espero que tenham tirado uma profunda reflexão das minhas respostas super relevantes kk.
Não vou indicar ninguém (NÃO ME ODEIEM), acho que a maioria dos blogs que sigo já respondeu, e eu tô de mudança (sim, uma merda), tô sem muito tempo, mas eu fiz perguntas, porque fazer perguntas é legal e eu sou boa em perguntar coisas aleatórias, então se alguém quiser responder elas estão aí embaixo.

1 – Que tipo de aluno você era na escola?
2 – Você é um bom cozinheiro, ou só sabe fritar ovo e cozinhar miojo?
3 – Você é o tipo de pessoa que conversa por emojis?
4 – Qual o desenho que marcou sua infância?
5 – Biscoito ou bolacha?
6 – Uma frase de filme ou livro que tenha marcado você.
7 – Uma música, cantor ou banda que você gostaria de indicar para o mundo?
8 – Você tem, ou já teve um apelido constrangedor? Conta pra gente.
9 – Qual sua rede social favorita e porque?
10 – Se você pudesse trazer a vida real qualquer personagem, qual seria?

Beijo pra vocês, cuidem-se 😉